Blog de Vinictus

Contos Eróticos Parte 2: A loucura mais excitante da minha vida

Para muitos, uma grande aventura significa saltar de paraquedas, enfrentar o rio com um barco, disputar um racha e até mesmo fazer sexo na rodovia. No entanto, a minha grande aventura foi fazer sexo a 3.

Por muito tempo eu fui considerado por várias pessoas a minha volta, o ser humano mais inocente do mundo. Como seria para você, conviver com um virgem de 25 anos de idade?

Todos no meu ciclo de convivência, queriam me perverter e ainda por cima, davam em cima de mim me chamando de príncipe, anjinho, doçura, etc. Mal sabia eles que eu era um sadomasoquista doidão.

O que me permitiu experimentar o meu verdadeiro prazer sexual aos meus 25 anos foram as inúmeras pessoas do meetfighters que sentiam o mesmo fetiche de gutpunching me dando auxílio... Graças a isso, tive a certeza de que eu não sou louco e que posso curtir tranquilamente.

Depois de algum tempo da última luta que citei no artigo passado, eu tive a oportunidade de visitar novamente pela empresa, aquela cidade onde vivia aquele lindo menino e já fui mandando mensagem para ele. (Vou identificá-lo aqui mais para frente com a letra X)

Há muito tempo também, eu estava conversando com outro rapaz da mesma cidade e nunca dava certo de me encontrar com ele... Queria muito conhecê-lo e o encontrar pessoalmente, pois ele também era daquela cidade, então, fui conversando com os dois. (Esse rapaz, vou identificá-lo com a letra Y)

Conversa vai, conversa vem, eu acabei descobrindo por muita coincidência que os dois namoravam e aí bateu aquele grande frio na barriga. Eu queria muito ter uma sessão de gutpunching, mas, não queria estragar a felicidade dos dois. Sei o quanto é difícil achar pessoas que tem esse fetiche e as duas únicas pessoas que me chamavam a atenção naquela cidade, estavam namorando.

Fiquei chocado, sem saber o que fazer. Dentro de mim eu queria os dois mas não conseguia falar isso. Eu já era perdidamente apaixonado por um deles mas os dois estavam namorando e faltavam apenas 2 dias para meu ônibus ir embora.

Foi quando lembrei de um amigo tarado da faculdade que toda noite transava com uma pessoa diferente. Ele sempre me falava as seguintes palavras sábias: "o NÃO você já tem".

Nesse exato momento, mandei mensagem para os dois perguntando se eles curtiam fazer a 3, enfiei literalmente minha cabeça no buraco e cruzei meus dedinhos para sentir uma sensação de esperança.

Finalmente o barulhinho da notificação do whatsapp apareceu. Os dois já tinham respondido e a resposta era "SIM"!

Meu coração pulou de alegria. Foi como se eu tivesse ganhado na loteria, pois ia ver o X que aos meus olhos era o menino mais lindo do mundo e conhecer o Y, um cara que era muito legal e fofo"mas que me assustava com mensagens beeeem sádicas e gostosas". Poxa já tinha quase 2 anos que estava falando com o Y e nada dava certo... Eu queria muuuuito veeeeer ele e como mágica, tudo deu certo do nada.

A noite chegou, chamei meu Uber e fui em direção ao hotel. Quando cheguei senti uma sensação de felicidade tremenda. Eu vi o rosto daquele cara sádico, lindo e percebi que a boca dele era muito mais bonita pessoalmente do que nas fotos.

Ele tinha que trabalhar e terminar algumas coisas durante a noite, tempo esse que duraria em torno de 1 hora, mesmo assim, ele já me deu um beijo e vários socos na boca do meu estômago. Eu curti bastante.

Enquanto via ele trabalhando, bati um arrependimento tão grande de não ter o encontrado antes. Nesse meio termo, o X chegou. Cumprimentamos e ele se demonstrou também feliz em me ver.

Pude olhar para aqueles olhos castanhos e ver aquela carinha lerda novamente. Meu coração começou a bater mais forte, ainda tenho muitos sentimentos por ele.

Quando ele chegou, ficamos meio perdidos. Era tudo novo para todo mundo e não sabíamos como começar. Mesmo assim nós iniciamos.

Um segurou minhas mãos, enquanto isso o outro me dava socos, joelhadas e pisões. Eles revezavam e eu lá firme, aguentando tudo.

Resisti em média uns 50 minutos, até que tomei um crítico na boca do estômago que fiquei sem ar. Mesmo assim, eu sorria enquanto murmurava de dor. Foi excitante.

Tive a oportunidade de fazer massagem nos dois. O fato deles terem o corpo bem peludo, já me excitava e eu adoro fazer massagem e ensinei ao casal algumas técnicas simples para um fazer massagem no outro.

Depois da massagem teve mais pancadaria, só que eu revesava com o X para irmos nos recuperando. A noite foi longa e definitivamente, a mais gostosa de toda a minha vida.

Na hora de dormir, dormimos à 3 e novamente o prazer se estendeu. Deitei no cantinho, do lado do Y. Estava escuro e ele começou a apertar meu mamilo, me deu muito carinho, pressionou meu estômago, lambeu minha orelha e ainda por cima me beijou com aquela boca gostosa que só ele tem.

De vez enquanto ele me dava uns socos e ficamos assim quase 2 horas para frente. Depois de um tempo, meu mamilo chegou no limite, ele reconheceu e parou.

Eu comecei a ter muitos sentimentos pelo Y, ele era tão lindo, carinhoso e tão sádico ao mesmo tempo. A sua personalidade também me chamou bastante a atenção.

No meio da noite eu acordei, vi os dois ali deitados. Enquanto eu olhava para ambos, sentia uma sensação tão boa de carinho, amor e um pouco de fraternidade. Foi algo tão diferente, tipo um sentimento de querer fazer os dois felizes.

O dia nasceu e mesmo no limite, eles me torturaram mais um pouquinho e me permitiram fazer massagem. Foi tão gostoso. Depois ficamos analisando as varandas alheias e nos divertindo bastante imaginando como poderia ser a vida das pessoas que moravam naquela região.

O X saiu para trabalhar e eu fiquei com o Y o resto do dia. Ele me propôs dar um passeio para conhecer a cidade, eu topei. Naquela hora, eu mal sabia que em poucos minutos iria me apaixonar por ele também.

Ele me apresentou toda a cidade do alto, conhecemos o transporte público, a biblioteca, o comércio local e vários outros lugares fantásticos. O Y foi como um guia turístico e eu fiz o papel de turista impressionado, pois tudo na cidade era fascinante.

Nós nos encontramos novamente com o X no meio do caminho. Almoçamos juntos e voltamos ao apartamento.

Já estava chegando o momento de eu ir embora, pois meu ônibus estava chegando. O X ficou pouco tempo no apartamento e foi embora também. Me despedir dele com um beijo, o Y também. Doeu bastante quando ele foi embora, foi o mesmo sentimento da primeira vez que estivemos juntos.

Ficamos novamente só eu e o Y. Faltavam 2 horas para o ônibus chegar, o Y me torturou um pouco mais, beijou minha boca e eu gozei pela primeira vez na vida com o meu fetiche. Isso nunca tinha acontecido antes.

E quando eu olhava para aquela carinha fofa e sádica, me veio um sentimento de desespero. Não queria deixar ele, mas eu precisava ir.

Tentei me segurar, mas não me controlei. Dei um abraço nele e comecei a chorar. Sei que vou me arrepender o resto da vida por não ter marcado com o Y antes. Ele tinha até proposto vir em Goiânia, mas eu tinha muito medo dele.

No final do dia, ele me ajudou a levar as minhas malas para baixo, chamamos o Uber e me despedir dele também.

Enquanto ia embora no ônibus, eu senti uma dor que nunca senti antes na minha vida. Eu definitivamente estava apaixonado pelos dois, queria os dois, desejava os dois.

Comecei a imaginar um céu com nuvens de algodão doce rosadas. Os dois estavam depois de uma ponte feita de madeira olhando para um por do sol lindo de mãos dadas.

Eu estava do outro lado da ponte, mas algo me impedia de passar aquela ponte. Quando olhei para a direita apareceu várias versões de mim como se fossem zumbis e me puxaram para um lugar escuro.

No meio da escuridão vi os dois sendo felizes enquanto eu estava ali, sozinho e comigo mesmo.

Não sei se um dia eu vou viver uma relação à 3 e já faz algum tempo que não me importo mais com que a sociedade tem a dizer ao meu respeito.

Quando cheguei em casa, me olhei no espelho e vi a minha imagem, lembrei da decisão que eu tinha feito à algum tempo, de ser a minha melhor versão. Voltei a ir na academia todos os dias e comecei a dedicar esforço no treino.

Enquanto estava treinando lembrei da fase que o Y disse para mim quando eu o agradeci por ter permitido essa experiência à 3 com o namorado dele.

"Ele não é meu para mim deixar, ele que quis, a decisão foi dele".

Naquele momento tive a certeza de que ninguém é de ninguém. Então decidi cuidar de mim, pois eu sou a única pessoa que eu sempre vou ter, e se, por um acaso algum dia eu tiver a oportunidade de cruzar aquela ponte de madeira para pegar na mão dos dois e ver aquele lindo por do sol, com certeza eu irei.

Este foi o relato da melhor noite nada minha vida. Mesmo com tantas viagens e experiências, nenhuma chegou a ser tão maravilhosa quanto essa.

Desde já, agradeço a você por ler esse texto tamanho G.

Translate
Last edited on 6/06/2022 3:49 AM by Vinictus
PermaLink
100%

Comments

0